terça-feira, 20 de outubro de 2015

Copel propõe parceria à russa Gazprom na construção de térmicas a gás no Paraná

A estatal paranaense Copel pretende atrair a estatal russa Gazprom para uma parceria na construção de térmicas a gás no Paraná. O projeto prevê não apenas  a geração de energia, mas também a construção da infraestrutura necessária para a instalação de novas usinas no estado. Estão no planejamento elaborado pela Copel a ampliação da usina de Araucária, a instalação de uma nova térmica no litoral do estado,  esta com capacidade de 1.200 MW, a construção de um gasoduto que ligue o litoral paranaense e a região metropolitana de Curitiba e a instalação de um terminal de gás natural liquefeito (GNL) conjugado a uma unidade de regaseificação. O empreendimento teria capacidade para processar 10 milhões de metros cúbicos de gás por dia.
A proposta foi entregue à Gazprom pelo governador paranaense Beto Richa. O político lidera uma missão internacional cujo objetivo é atrair novos investimentos para o estado do Paraná.
De acordo com a agência de notícias do governo estadual, Richa também consultou a empresa sobre a possibilidade de a Gazprom fornecer GNL ao estado, um insumo que seria recebido no terminal e então convertido em gás no estado gasoso na unidade de regaseificação. O consumo local está atualmente em 3,6 milhões de metros cúbicos por dia, volume destinado à distribuidora local Compagás e à térmica de Araucária.
Ainda nesta segunda-feira, Richa esteve na sede do Vnesh Econom Bank (VEB), o banco de desenvolvimento da Rússia, onde discutiu a possibilidade de obter financiamento para obras de infraestrutura no estado.
China
Antes de passar pela Rússia, o governador do Paraná esteve na China, onde também promoveu agenda de encontros com autoridades locais e empresas. Uma das reuniões foi com representantes da State Grid, estatal chinesa que foi parceira da Copel em três grandes projetos de transmissão de energia no Brasil, com investimento total de R$ 3,6 bilhões. A reunião contou com a presença do presidente da Copel, Luiz Fernando Vianna.
O conteúdo dos encontros não foi revelado, porém é natural imaginar que uma eventual repetição da parceria em futuros leilões foi um dos temas em discussão.
A State Grid revelou em julho passado, por intermédio do vice-presidente de Desenvolvimento de Negócios e Administrativo, Qu Yan, que a companhia também estaria interessada em projetos de geração no Brasil. No próximo dia 6 de novembro, a Agência
Nacional de Energia Elétrica (Aneel) promoverá leilão de geração para a licitação de 29 usinas cujas concessões se encerraram nos últimos meses ou serão a ser encerradas até o final do ano. Alguns desses ativos eram operados pela própria Copel.

fonte: ABEGAS

Nenhum comentário:

Postar um comentário